terça-feira, 21 de março de 2017

Meu medo

Passa um pequeno filme na sua cabeça. E surge um monte de perguntas. E se a pessoa é pratica como eu, ela comeca a escrever listas insanas que, dependendo do diagnostico, não são o que parecem. Elas são uma tentativa de um plano B. Quando me ligaram da clinica, eu não tinha planos, nem lista, nem nada que se aproveitasse de como eu iria lidar com uma doença. Eu apenas segui as instruções. Eu tomei banho e fiz minha maquiagem. Não coloquei desodorantes, nem perfumes. Segui as regras para ser examinada. De novo. As minhas pernas estavam bambas e minhas mãos estavam frias, mas eu não estava com fome. Isso sempre acontece quando eu estou com fome. Eu estava com medo. Coloquei o radio para tocar Michael Buble. Bem alto. Nao podia me dar ao luxo de escutar meus pensamentos. Devo me vestir para ser internada, ou devo me vestir para uma bateria de exames? Serei internada depois dos exames concluidos? Biópsias doem? Todos sabem que eu não ligo para dor. 

Eu ainda nao criei meu filho. Meu filho só tem oito anos de idade. Eu preciso de mais tempo para criar meu filho. E meu marido é tão doce, tão gentil, tão  lindo. Como diz I. P. "Casameno às vezes é uma merda, mas às vezes é bão ". Eu ainda quero mais tempo com meu marido. Não fiz nada da minha vida. Terei que ir ao Brasil fazer o tratamento pelo SUS pois, moro no pior país do mundo quando o assunto é health care. Todos os assombros passam pela minha cabeça. 

A gente tenta advinhar o que está acontecendo olhando para o semblante da recepcionista, da radiologista, dos médicos. Eles são bons em fazer poker face. Eles usam as palavras com cuidado para não te alarmar. Me perguntaram se tinham casos de breast issues na minha família. Em nenhum momento eles dizem a palavra câncer. Todos sabem que minha familia sofre do coração. Nossos peitos são ótimos! Somos cinco mulheres com seios perfeitos. Só o coração é que derrapa.

No final, eu  estou bem. Eles me reviraram pelo avesso para constatar que a dense tissue no meu peito direito sumiu. Diminuiu. Desapareceu



4 comentários:

  1. ô amiga, meu abraço. eu bem sei como esses momentos parecem infindáveis e sei, também, o que é agir no automático enquanto se espera. que bom que você está maravilhosa. beijos com saudades

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada. Eu pensei em nao escrever sobre esse assunto -- porem foi brabo demais para nao falar sobre ele. bjks

      Excluir
  2. ufa! fui lendo e o coração foi saindo pela boca.

    ResponderExcluir