sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Bom. Gostoso. Sublime.

Sublime. Assistir o videoclip Freedom 90 do George Michael enquanto faço esteira. Sao cinco minutos em que eu esqueço o quanto detesto me exercitar. Calcinha e sutiã. Pode ser bege. Nem precisa fazer parzinho. Grandona. Com padronagem americana. Eu gosto. Mascara facial. Daquelas que ficam apenas dez minutos no rosto. Mais que isso é perda de tempo. Mingau de aveia com mel e canela. Ele põe canela em quase tudo. Eu ponho gengibre em quase tudo. Canetas, canetinhas e lápis. Bem macios. Daqueles que da vontade de sair fazendo anotações nas margens dos livros. Eu não faço. Talvez por achar minha letra feia. Quando chega correspondência do Brasil. Abrir o envelope. Os minutos que antecedem. Sublime. Borbs é mestra em narrar essas sensações. Pintar as unhas. Do jeito mais childish possible. Que eu quero que seja divertido. Ter plantas desengonçadas  sobreviventes de uma cuidadora desengonçada. Eu. Encontrar um vestido vintage. Em bom estado de conservação. E ele voltar da lavanderia com cheiro de lavanda. Os abraços do meu filho. Os abraços que pedem algo proibido. Ver TV durante a semana. São  abraços e tentativas de suborno. Ele chega da escola, engrossa a voz e finge ser o pai.

- Honey, cheguei!
- É você, E.?
- Não, é o papai! 



***

Um homem talentoso aparece na grande mídia por volta dos 40 anos de idade. Uma vida toda sendo artista. Sem desistir. Um homem talentoso morre assim. It breaks my heart


Um comentário:

  1. Adorei...verdade absolutamente incontestável as grandonas são as melhores!

    ResponderExcluir