domingo, 14 de agosto de 2016

Pitkin

Pitkin é uma cidadela do Colorado. Nasceu durante a mineração de carvão e outras preciosidades. Man, Go West! Essa era a campanha do governo. O Oeste Americano foi o nosso Sertão, a Transamazonica, a feitura de Brasília. E os homens brancos seguiram à risca ordem de colonizar e cinquistar: fundaram cidades, que no fim se tornaram cidades fantasmas, fizeram estradas de ferro e uns poucos sortudos, encontraram ouro. Os donos das terras já tinham sido confinados em reservas indígenas. Deles sobrariam os nomes bonitos como Cherokee.

Viajamos por dois dias até chegar as montanhas e montar acampamento em Pitkin, na Floresta Nacional de Gunnison.

Estamos no Colorado mas o sotaque que se ouve é do Texas. A maioria das pessoas que acampam por aqui são texanas. O sotaque gostoso do sul. 




O isolamento é total. Escolhemos acampar no modo disperse camping. Existe acampamentos que mais parecem o estacionamento do Wal Mart. Agua, energia elétrica e mil outros balangandãs modernos. Enquanto acampar nos disperse camping, a pessoa monta sua barraca e faz seu próprio fogo. E tenta deixar o menor foot print possível. Os ursos, elks, castores, esquilos, veados, moose agradecem. Aspens, Pine trees, Evergreens, Willows's bushes Idem. 



A lista do que não se pode fazer é enorme e, mesmo assim, acredito que o impacto deixado pelos humanos é extensa. Isso daqui é uma floresta nacional e, conversando com os Rangers ( uma mistura de fiscais, polícia, e anfitriões), eles dizem que o fogo é o que mais causa danos aos bichinhos e a flora daqui.




Esse post foi possível cuz' I had a nesga de internet, na cidade de Creste Butte, onde fomos comprar provisões. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário