terça-feira, 12 de julho de 2016

Férias e fotos

Voltei da férias. Todos os clichês sobre as férias  cá estão comigo. Só falta eu escrever uma redação sobre as minhas ferias.

Foi bom e cansativo. Foi uma maratona para ver todos e todas. Fui muito mimada e ganhei mimos. Ethan não saiu das piscinas. Fez amigos apesar de estar usando a camiseta do Vila Nova. Chorou ao se despedir do filho da minha prima e da filha da minha amiga. Tudo no mesmo dia. Segundo ele, foi um dia difícil.

Eu saí da minha bolhinha virtual e entrei na bolhinha da vida real. Nos dias que passei no Brasil, só me relacionei com pessoas parecidas comigo. Aquela mesma linha de pensamento. Fiquei protegida, não me estressei mas não teve discussão (debate). Zygmunt Bauman morreu um pouquinho.

Andei de ônibus incontáveis vezes. A cidade tem um transporte público  vergonhoso. Está entupida de carros. Quase todo carro tem um adesivo religioso. Os neo pentecostais não brincam em serviço. Querem ganhar o Brasil para Jesus. Dizem. As igrejas gritam que estão muito bem, obrigada. Enquanto isso, tias, primas e amigos lecionam.

Ethan tem um novo favorito. Coxinha. Ele deu o nome de chicken balls. Experimentou coxinha de frango com catupiry. Picolé de umbu, buriti, pequi. Eu gosto de todos os pratos amargos. Guariroba, por exemplo. Levei uma amiga para conhecer o Mercado Municipal. Eu quero que o mundo saiba que o mercado Mercado Municipal de Goiania é tão importante quanto o Ver O Peso de Belém e o Pike Place Fish Market em Seattle. Sonhemos. Fumo de rolo, empadão goiano, cachaça, baru.

As pessoas pareciam bem. Nos ônibus fiz fotos dos pés. Dos calçados. Pés manicurados. Cuidados para não se sujarem no pó vermelho das ruas sem calçamento. É preciso chegar a cidade com os pés limpos.

***





E uma foto com meu padrinho Zé Rangel:
















3 comentários:

  1. Tanto tempo que nao passava por aqui...mas, a gente sempre se surpreende com como as nossas crianças crescem, ne?

    ResponderExcluir