terça-feira, 24 de maio de 2016

Só acontece no Brasil

Nessa minha vidinha de EUA, la se vão oito anos a serem completados em Agosto, estudei, fiz bicos, arranjei trabalho na minha area. Fiz um pouquinho de cada coisa. Continuo na batalha. Ano passado comecei a lecionar sociologia em um desses community college. Os community colleges oferecem cursos de dois anos de duração e apronta o candidato a uma vaga na universidade regular tal qual as existentes no Brasil.

Eu fiquei bem feliz de lecionar um assunto que adoro, em um community college que possui oito campus, e para estudantes de todos os backgrounds. Diversity matters. Entre dirigir quase uma hora e meia até o trabalho e pagar pedágio, paguei para trabalhar mas ganhei experiencia. Foi esse o meu foco o tempo todo enfrentando transito nas highways. Ganhar experiencia e trabalhar em universidades perto de casa e que nao me contrate somente como adjunto. Acredito muito que fiz a coisa certa.

Um community college ou até uma universidade que possua oito campus é uma monstruosidade e penso que administrar nao seja bolinho. A pessoa supostamente headchair do departamento de ciencias sociais ficou com o encargo de me treinar. Coisa que ela nao fez porem, eu nao sou crua de um tudo e tenho amigos que lecionam aqui e que formaram comigo. Eles me passaram até power point das aulas deles pra eu me familiarizar até onde eu poderia ir com a turma. A suposta head do departamento fez baguncinhas do começo ao fim. Enviou email pra geral por engano. Amateur. Dentre essas baguncinhas, está o fato de que continuo funcionaria do meu empregador mesmo não trabalhando lá a mais ou menos quatro meses. Eu descobri isso por acaso quando recebi correspondência do fundo de pensão da escola. Entrei em contato com o empregador e fui informada de que tenho de envia-los uma resignation letter. Carta de resignação? Eu ri e não sei se deixo rolar ou processo eles.

Esse tipinho de administrador incompetente possui um emprego. Isso so acontece no Brasil. Ops...


4 comentários:

  1. Daí ontem rolou um papo no carro. O Arthur contando de uma comparação que tinha rolado num papo com amigos: algo do tipo "os americanos são honestos, se fossem brasileiros teriam saído sem pagar" algo assim.

    Bem, obviamente alertamos para o perigo dos estereótipos e fui logo sacando vários exemplos de casos envolvendo furtos e outros lances em vários lugares do mundo; o Ulisses lembrou, também, de quando perdeu a carteira dele, que foi encontrada e devolvida, a pessoa que achou teve um trabalho considerável pra encontrá-lo - e devolveu a carteira com tudo dentro, aqui no Brasil. Enfim.

    Vou contar sua historinha pra ele pra engrossar o caldo. (O engraçado é que o Ulisses terminou o papo dizendo assim: "agora, em matéria de organização, realmente os americanos mandam muito bem", ao que agora responderei "até concordo, menos no trabalho da Mari", hohoho)

    Enfim, estereótipos gonna estereotipar, né. Bj!

    ResponderExcluir
  2. E seu post complementa bem o da Marjorie, hein? Adoro o "isso só acontece no Brasil" de quem não tá no Brasil.... :) Podia ter um blog disso: de "isso só acontece no Brasil" na gringa. só pra gente repassar pros malas aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ideia otima, Re! Eu tenho muito assunto sobre isso para contar. Certas pessoas tem de ter vergonha do puxasaquismo de "na gringa eh diferente!".

      Excluir