terça-feira, 31 de dezembro de 2013

O ano bom

Esse ano foi o ano bom. Foi o ano em que Ethan começou na escolinha de verdade. Naquela série que tem cobrança de notas, tem professora para ser lembrada por uma vida inteira. Se ele seguir os caminhos do pai, terá começado neste ano a ter amigos de infancia desde os tempos da escola. Em 2013 eu também fui a escola. Paguei pela primeira vez para estudar. Ensino superior nos EUA - sempre tem de pagar, em pública ou privada. Isso meio que meu deu uns calafrios no começo. E se eu não conseguir pagar? Desencanei depois. Em compensação Ethan terá escola pública grátis de qualidade combo total até ir para a universidade. Das coisas que amo nos EUA - escola, sistema de correios e bibliotecas, todas públicas e todas excelentes.

Eu sou tão canceriana que, veja só, se todos estão na escola sem precisar de usar Ritalina, para mim é sinonimo de que tudo tá dando certo. Saldo positivo e tal. Eu lembrei da Borbs, que um dia me disse que ela não se indentifica pela profissão que tem. Ao contrário de mim. Eu queria ser como a Borbs, mas não deu. Deve ser resquício de ser filha de professora. A Borbs é raio, estrela e luar. Eu sou a prática, que queria ser biscate, mas que vive a fazer listas. Espero que  no final eu tenha um emprego.

Que em 2014 eu possa estar na internê com azamigas todas. Quem sabe terei tempo de vê-las ao vivo.


2 comentários:

  1. Borbs que é o que Mari gostaria de ser, que é o que Fernanda gostaria de ser...

    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. eu sou uma biscate que adora fazer listas (#ondeestáseudeusagora, risos)

    mas não me identificar pela profissão não me impede de querer o emprego (#tenhoumarumadeconta)

    e fico tão feliz com todo mundo estudando sem ritalina (#porumasociedadeacordada)

    te amo, um 2014 lindão que nem você.

    ResponderExcluir