domingo, 8 de dezembro de 2013

Dinalva também é Joana

A gente descia o rio. E o rio era o riozão. Um rio gigante e cheio de mistérios. Erámos meninas da roça. Ela menina de agua doce. Eu sou menina de agua salobra. Nasci perto de olho d'agua. Ela nasceu nas várzeas perfumadas. A gente via a roupa quarar e aproveitava para descer na bóia. A gente só queria brincar. Brincar, ver a Xuxa, andar na bicicleta do armazén. Só isso. Um dia a gente se viu grande. Ela viu que  era bem diferente ser menino ou menina. Daí ela me ensinou. Ser menina é bom. A gente leva todos aqueles nomes. Mas quem é a forte aí? Ela reza e acredita. Eu praguejo e faço listas. Um dia a gente se encontrou lá no começo da adolescencia. Obrigada. Feliz aniversário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário