sábado, 7 de setembro de 2013

Gentes

Não estou assistindo mais a novela das 9. Passo lá Marina e sei que a novela está conseguindo ser pior que Salve Jorge.

Eu não engulo uma pessoa. Ela é narcisista. Ela é do tipo que namora os próprios músculos, diante de um espellho, ela adora espelhos. Orgulho do carro que tem, dos brinquedinhos a que ela se refere como my toys, dos presentes que ganhou no dia dos namorados. Tudo cintilante, dourado, oversized, cafona. Na mesa do bar, a pessoa sempre tem uma história melhor que a sua. Cansativo. Quer empurrar livros idiotizantes nas gentes ao redor. Não adianta dizer que nesta casa não se lê livros sobre corporações. Não adianta. A pessoa se faz de surda. Ela pede a conta para enviar a versão do livro online, de graça. Burra, faz os comentários mais sem sentido e equivocados nas redes sociais. Gente burra que comenta o post alheio sem antes ler. O que esperar de gente que usa blusinhas baby look? Agora ela quer levar meu companheiro para uma aventura. Ela escolheu o esporte onde ela se sai bem, e meu marido se sai mal, muito mal. É uma forma de ter outra história para contar depois. Uma história onde as chances da pessoa ser sair bem, são infinitas. Uma história onde ele pode debochar do quão fracote é o amigo.


Uma outra pessoa teve um acidente sério. Bebida e velocidade. Meses e meses de terapia para conseguir andar novamente. Restou somente uma sequela. O braço não faz um giro completo. A pessoa reclama que não poderá mais usar a espingarda, a pistola, o rifle e o arco (sim, arco!) para caçar. Alguém que mata animais por esporte. Eu fiquei feliz em saber que ela não vai mais poder caçar. Fiquei muito feliz. Você ficaria?


Estava eu, em um desses raros momentos em que a gente consegue uma babá para a cria, no bar com os amigos. Noite alta. Todos altos. Eu usava um decote generoso. Com os peitos jogados na avenida, para lá e para cá. Uma amiga pergunta se eles são assim ou eu estava usando push up bra. Completa que eu amamentei então, eles não devem ser assim, né? Tem truque? Uma pergunta sincera. Poucas coisas me deixam vermelha e sem ação.


Update: Diferente da Tina, a amiga da pergunta sincera não faz a linha ortodoxa. Foi um momento Roni Von. Significa.



4 comentários:

  1. Nossa, Mari. Tenho uma amiga que você descreveu todinha aí no seu segundo parágrafo. Só não desfaço a amizade porque ela não é mal intencionada, mas às vezes irrita. Ô e como.

    E sim, eu ficaria :)

    ResponderExcluir
  2. Então, Dani, que carga esse tipo de pessoa.

    ResponderExcluir