domingo, 25 de março de 2012

Americanas fofoqueiras de filme caricato

Elas funcionam melhor que conferência da ONU. Elas fazem um big deal de qualquer coisinha. Elas fingem que estão protegendo o amigo do perigo de saias. Ah, essas mulheres e seus minúsculos Tico e Teco. Descarilhadas quando o assunto é fofocar. Aí elas pegam um evento simples como o fato de um amigo em comum, casado, ter ido sem a esposa, a um 'concerto'. Em outro região. Com o grupo de amigos, como sempre igualzinhoqueném todos os anos. Elas já ficam enlouquecidas com a possibilidades de algo dirty acontecer, daí, quando elas sabem e veem a ex do amigo no mesmo evento e, pasmem, sentada na mesma arquibancada, elas mal podem conter a excitação.

Mas, pausa para a ex do fulano - ela flerta meixxxxxxxxxmo. Ela tem baixa estima e acha que para ser o centro das atenções, tem de fazer caras e bocas além de fingir uma voz rouca - sexy - Veraoncocaine. Os rapazes curtem, as casadas querem esganá-la, mas ficam na pose e tem gente que se diverte com o bafão e só.

Daí que a ex não é muito quirida da turma. E ela tenta so hard ser incluida. No tal evento, ela aprontou e aprontou bonito. Beijou o rapaz casado com um selinho. O rapaz casado fez cara de q? preocupadíssimo com o barulho que as AFFC iriam fazer com esse pequeno incidente movido a alcool. Rapaz surta com o surto e sai tentando se esquivar da taradona.
Pileques não duram para sempre. Desculpas foram pedidas. Fatalmente não serão aceitas. E a mulher do rapaz casado recebeu o que ela chama de declarações de pesames, vindas de todas as AFFC. Elas determinaram quem iria contar o acontecido a pobre esposa ultrajada. Mas ninguém sabe do casamento de ninguém, né, minha gente. Na cabeça das AFFC, a esposinha nem sabia que o marido tinha ido ao tal evento e, se soubesse, como ela poderia ter deixado ele ir sozinho? Na cabeça do marido, passou a resposta certa - ele contou a esposa o acontecido.

A esposa esperou o chamado das AFFC. Elas não demoraram. Foram direto ao ponto. A medida que elas falavam, a esposinha tinha a impressão de que conhecia aquele sub texto.

Era o de sempre.

A moça flertativa devia ser banida do grupo. A moça flertativa estava all over your husband, fia. Ela deixava transparecer que eles estavam em lua de mel, enamorados, garrada na gola do cara, tentativas de mãos entrelaçadas rolaram etc e tal. E tinha fotos. Fotos da moça usando saia. As AFFC foram assertivas - com aquela saia, ela estava escrevendo o que ela era - uma mulher não honesta ( cai em mim, Código Civil de mil5689).

A esposinha ouvia tudo e teve impetos de falar que, na verdade, ela, marido e moça flertativa viviam em um ménage à trois etc, mas, ela não quis contrariar mulheres machistas aquela hora da tarde. Disse apenas que não contassem com ela para apontar o dedinho para uma mulher por causa da vestimenta que ela usa. No fundo, no fundo, ela ainda tinha uma esperança de que o termo rape culture acendesse uma luz na cabeça da Tea Party do suburbs. A luz não acendeu e ela saiu dizendo que não ligava a minima para o ocorrido e que não, não tomaria nenhuma atitude com relação a moça. E que não, ela não iria bater na moça.

No final das contas ela sabia que tinha dado uma chance de ser amiga da moça flertativa. Mas, como disse uma boa amiga, ela não conseguia se desvencilhar do passado. To bad, so sad. Quando ela lembra do machismo com que as AFFC analisaram a situação, ela tem uma pontinha de vontade de ser BFF da flertativa só para contrariar.

* obrigada a Tina por ter me dado o título do post.

** tentei colocar girias para não expor minha amiga. Desculpaê pelo post toskeira. Morro de medo do gugôô translaton.

3 comentários:

  1. Hahahahahahaha!!

    Tóin, com a cara no chão, as AFFCs.

    Bj!
    Rita

    ResponderExcluir
  2. Hahahahaahah é muito divertido ver que a instituição AFFC foi abalada!

    ResponderExcluir
  3. É aquela coisa, amiga:

    Quando o conselho é demais, o conflito quer abrigo.

    Só lamento pela frustração coletiva. HAHAHAHAHAHA

    ResponderExcluir