segunda-feira, 3 de outubro de 2011

As listas da viagem

Eu estou planejando, planejando, planejando a viagem. Já fiz e refiz listas do que fazer no BR. Lista dos presentes, listas dos lugares que quero mostrar para meu menino. ( O menino tem 3 anos. Será que ele se interessa em conhecer o local onde mamãe se escondia para matar aula? ). Alô, bosque da UFG! Tenho feito listas do que vou comer. Tem a lista das penpals também. São as mocinhas que irei conhecer cara a cara lá em Brasilia. Luciana e Iara! Será que elas vão gostar de mim? Daqui a pouco começo a lista de como introduzir uma nova conversação caso surja aquele silêncio constrangedor na mesa. Cê jura? Tenho que convencer Glorinha a enfrentar o onibus da Itapemirim e ir me encontrar em Barreiras. Tem as moças do Sul - queria tanto vê-las. A Bia Francisco então...A gente deveria era criar uma encontro bi-anual, tão sabendo? Ia ser lindo!

Tenho me preparado para outros eventos que sempre vem a tona quando a familia tá junta. Já fiz até o discurso caso alguém da familia enlouqueça e insista comigo para ir a Missa do Galo no Natal. Acontece essas coisas lá em casa, gente. Tem uma galera que pensa que vai me salvar e continua tentando, tadinhos. Vai rolar climão, pois meu menino não é batizado. Daí que eu já passei o fio para a irmã caçula para ela preparar o espírito dos sensíveis que ainda, depois de 36 anos, não sabem quem eu sou. Coisa boa de morar longe da familia que tu ama demais da conta, mas que de vez em quando espiroca - tu ameaça que vai pegar o voo de volta para casa e a torta de climão se desfaz como mágica. Interessante é que minhas mães conhece direitinho o gado delas - se referem a mim como a esquisitinha, diferente, aquela que é largada do talo etc. Meu marido não fez lista nenhuma pois ele só tem um idéia fixa - moquear carne e tomar uma certa marca de cerveja. O louco do churrasco!

Adquirir mais uma tatuagem está na lista. Estou com essa idéia fixa a algum tempo. Minha cunhada, que tinha 11 tattos ( tatoos? tatu?), ia fazer um desenho para mim. A gente até discutiu algumas idéias. Infelizmente não deu tempo dela rascunhar algo.

Por hora, tento aplacar a ansiedade pensando na roupicha que Ethan irá usar neste Halloween. Daqui a pouco estarei fazendo respiração cachorrinho.

7 comentários:

  1. Pois a Sra. fique sabendo, moça esquisitinha e diferente, que nós aqui do Sul tb gostaríamos muito de conhecê-la. Mas, tô sabendo que dessa vez vc vai priorizar a parte de cima do mapa do Brasil, néam? De qualquer forma eu sei que ainda vamos nos conhecer, embora tenha sempre aquela sensação, talvez pela proximidade do sobrenome, que já nos conhecemos de outras paradas! E divirta-se muito em terras brazucas!

    ResponderExcluir
  2. Ai que linda! Amiga. Saiba de uma coisa: VONTADE EU TENHO. Só falta eu convencer mainha a me liberar pro mundo goiano. AUSHAUSHAUHSUHASHAUHSUAHSUHAUHSUAHS

    Sério: Quero muito te dar um abraço e dizer: so pretty! kkkkkkkkkkkkk
    Nossa. Gosto tanto, mas tanto de você... Amo. Amo de todo coração.

    ResponderExcluir
  3. Porcaria de distância continental que vai continuar nos separando. ¬¬

    ResponderExcluir
  4. Que legal que vc é esquisitinha e diferente, não me sinto tão só assim!!! rsrsrsr
    Aprender algumas expressões novas para mim é bem legal, como:largada do talo, moquear carne...!! Amei, parece que vc já está se sentindo em casa. Bom preparo de lista, e se vc for como eu deixe uma lista de coisas para lembrar que vc deixou na lista! Abraços

    ResponderExcluir
  5. Sua linda, quem sou eu na balada pra vc querer me ver; emocionei.

    ResponderExcluir
  6. "Luciana e Iara! Será que elas vão gostar de mim? Daqui a pouco começo a lista de como introduzir uma nova conversação caso surja aquele silêncio constrangedor na mesa". ai, meu deus, que inveja do cacete. mas, nega, acredite, silencio nao vai haver, muito menos constrangedor. eu GARANTO.

    "Tem uma galera que pensa que vai me salvar e continua tentando, tadinhos. Vai rolar climão, pois meu menino não é batizado. Daí que eu já passei o fio para a irmã caçula para ela preparar o espírito dos sensíveis que ainda, depois de 36 anos, não sabem quem eu sou". amigs, sempre fui vista como a filha exemplar, tudo porque minha familia nao me conhecia. escondia as coisas ou evitava certos assuntos porque sempre achei que "nao vale a pena" discutir. aih veio a segurança que a distancia dah: posso ser quem eu sou, nao dependo mais financeiramente deles e… isso eh essencial. aih aceitei os convites que a familia inteira fez ao longo desses meses de FBook e eh engracado como se chocam com certas coisas. "eh, essa sou eu, prazer, mae".

    ResponderExcluir