sábado, 28 de maio de 2011

Ganhando no #mimimi, pergunte-me como.




Era uma vez uma borboleta. Ela habitava lá pelas bandas de Mossoró e escrevia coisas belas e suspirantes. Um dia ela fez um meme lista de livros. E ela NÃO repassou o meme para mim. A partir deste momento, ela ganhou uma sarna para se coçar - eu! Prazer, meu nome é Mari e eu sou rancorosa.

Mas borboleta boa é aquela que já atingiu a maturidade e sabe como lidar com pessoas como eu da melhor forma possível - criando uma lista exclusiva só pra mim. ´

Eis a lista, Brasil!

Livro pra ralar o pulso no asfalto:
O Amor nos Tempos do Cólera - Gabriel Garcia Marquez. Eu tive uma fase de ler tudo do GGM que estivesse ao meu alcance.


Livro Amor Eterno:
Admiravel Mundo Novo de Aldous Huxley. Eu não sei descrever o impacto que tive ao ter contato com o encontro dos dois mundos descritos por esse autor. A construção de uma sociedade sem valores morais, sem religião e onde crianças tem aulas de educação sexual desde a infancia. Tudo sem culpa e tudo sem dor. Tudo condicionado. E o outro mundo exatamente ao contrário.

Livro Todo Mundo Gostou e Eu Também:
Cem Anos de Solidão de Gabriel Garcia Marquez. Dizem que esse é o livro de cabeceira citado entre 9 de 10 socialites. E candidatas a Miss também. Até os mais improváveis gostam.

Livro Todo Mundo Gostou e Eu Não.
Travessuras de Uma Menina Má de Mario Vargas Losa. Fiquei tão decepcionada com esse livro. Doei o exemplar para o meu primo sem antes fazer milhões de ressalvas. O trecho em que ele fala de como os jovens foram aliciados para entrar na revolução cubana é vergonhoso.

Livro Cheiro de Infância:
O Menino Maluquinho, a coleção Vaga Lumes, Reinações de Narizinho e o Cortiço de Aluizio de Azevedo. O último completamente inapropriado para uma criança, seu sei. Eu lia Tex, Tio Patinhas e cia, Turma da Mônica, Luluzinha e Bolinha, Super Heróis Marvel, revista Manchete, Cláudia, fotonovelas e o embrulho do pão.

Livro Levo Pra Ilha Deserta:
Verão no Áquario de Ligia Fagundes Teles e A Hora da Estrela de Clarisse Lispector.

Livro Nunca te Li, Sempre Te Amei:
Raízes do Brasil de Sérgio Buarque de Holanda.
Se não me engana, o Raízes foi a tese de doutorado do SBH. A linguagem é rebuscada como deve ser em uma tese. Eu li O Homem Cordial, que é um capitulo do livro, na faculdade. Mas aí li O que faz do brasil, Brasil? do DaMatta e abandonei a idéia ler o SBH por uns instantes. A gente fica achando que o DaMatta explicou tão bem a idéia do jeitinho brasileiro e a relação do mesmo entre casa e rua que, sei lá, não é tão necessário dar uma chance ao autor com teorias velhas e ultrapassadas.


Livro que amo e nunca está comigo:
Tristes Trópicos de Claude Lévi-Strauss. A fascinação do Levi-Strauss em sua estadia no Brasil. O desencanto com as cidades do Rio de Janeiro e Goiânia. O encanto dele pelos Nambiquara, Bororo, Arara...gosto também de saber que rolou todo um romance entre ele e a esposa de um antropologo brasileiro famosésimo. O cara era amigo do Levi- Strauss e estava ajudando na pesquisa de campo. O pai da antropologia estruturalista com tempo para um affair enquanto pesquisava na floresta.

Livro Um Dia Eu Consigo:
História da Beleza de Humberto Eco.

Livro chic que tinha medo de não entender mas amei:
Eros e Civilização de Herbert Marcuse. É uma interpretação filosófica do pensamento de Freud. No início me assuste com o título e o prefácio, mas não me dei por rogada e amei.

Livro pra levar pra praia:
Qualquer um do Luís Fernando Veríssimo e bestsellers em geral.

Livro Esse Eu Recomendo Demais:
O Carnaval dos Animais de Moacir Scliar. O fantástico em um livro de contos.

Livro Palavras Pra Dizer Meu Desejo:
Leite Derramado de Chico Buarque

Livro Nem Por Muito Dinheiro Eu Encaro de Novo:
Eu não encaro os escritos do Florestan Fernandes. Fui obrigada a ler no curso de Ciências Socias e, só consegui escrever sobre a teoria dele mal e porcamente lendo os comentadores.

Livro Melhor Início:
Chega de Saudades de Ruy Castro. É a história da Bossa Nova contada daquele modo fofoca ou seja, é uma delícia.

Livro Melhor The End:
O Velho e o Mar de Hemingway.

Desta lista fica a lição - nunca mais faço listas de livros. Como dormir em paz sabendo que não entraram na lista Milan Kundera, Jorge Amado, João Ubaldo, Marcio Souza, Graciliano Ramos, Hilda Hilst, A Mafalda do Quino, Sabrinhas e Júlias e o Bourdieu? E a saber que amanhã ja terei mudado de idéia e refeito essa lista zilhões de vezes.

5 comentários:

  1. Eu tenho o História da Feiura. Um dia eu consigo.

    ResponderExcluir
  2. Já sabe que não consigo ser sintética, não é? Mas vou pelejar (aproveito e corto o que já te falei sobe marcuse, eco e todas as ...gias). Gosto muito de Hemingway, na minha lista tinha O Sol...mas bem podia ser O Velho e o Mar (tenho o filme). Gosto do Ruy Castro, ainda mais porque ele é flamenguista, rsrs, também gosto do Verissimo, ainda mais porque..bom, porque ele é o Verissimo.
    E, bom, como não morrer pelo Garcia Marques, né. Tudibom.
    Amei fazer essa lista pra você, ficou tão ou mais divertida. Agora vou fazer um questionário de filmes pra você e a Caminhante, rsrs

    ResponderExcluir
  3. esses memes: melhor forma de saber em 1min o que evitar pelo resto da vida.

    ResponderExcluir
  4. Eu tenho que ralar muito pra fazer um meme desse, Mari. UAHSUHAUSHAUHSUHAUS Oremos!:~

    ResponderExcluir
  5. Quem diz que eu conseguia publicar comment aqui?! Ai esse blogger. Mas, parabéns pelo meme. Eu nem tento, pq vou esqucer metade das coisas importantes, pq quando preciso lembrar de nomes eu os esqueço. Lady Murphy! Bjos querida!

    ResponderExcluir