sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Mamaizando

A maior parte da minha vida como mãe tem sido boring. Eu chego ao final do dia exausta e culpada por me sentir um lixo quando tudo devia ser lindo e maravilhoso. Me enganaram direitinho com a divinização da figura da mãe. Ohohoh! Quando não me sinto encaixada no modelo super mãe que a midia, a igreja católica e a revista Parenting me venderam, repasso mentalmente a listinha de coisas que fiz em prol da minha criança. A lista vai de como amamentei ele por 6 meses exclusivamente no peito até de como conto até 3576 para não perder a paciência com um baixinho terrível de 2 aninhos. São coisas que fiz e faço para ele e que me deixam orgulhosa. E alivia um pouco a sensação de estar falhando. Quando falo de exaustão não estou reivindicando a ajuda de uma baba. Eu moro nos EUA e me encaixo direitinho no modelo 'cada um limpa a própria bundinha' daqui. Duas coisas me constragem no Brasil- a sindrome do monturo de muitos brasileiros e a tara de casa grande e senzala com empregadas domésticas, babas e motoristas. Daí, que o fato de criar meu filho aqui me deixa sossegada. A minha bronca com o modelo dos EUA é o fato de que mulheres não tem licença-maternidade remunerada. É cada um por si em um mundinho onde individualismo é sagrado. Mas isso é uma outra história. Por enquanto, vou repassando minha listinha e tocando em frente.


Update - Depois de ler os comentetários dela - ( mãe da Nina e amiga virtual) e dela ( mãe do Amyr e amiga-irmã do coração)- resolvi dar meu primeiro update aqui no buteco pois, além de não saber usar as virgulas, penso em uma coisa e acabo escrevendo outra. E o mimimi fica complicado. Esse post era para tratar do olhar do outro sobre a forma como eu estou criando minha criança. E de como esse olhar me incomoda. E não deveria. Me incomoda pelo fato das pessoas não se tocarem do quanto elas são invasivas e inconvenientes. E que repassando minha listinha de coisinhas legais que fiz para meu nênê me dá a sensação de que as coisas estão no lugar onde se espera que elas estejam. Era isso.

3 comentários:

  1. Amiguês, a única coisa que digo, criar filho é punk. Desencane de padrões de perfeição e bla bla bla, nos quais as mães que fazem algo fora deles, são consideradas más. Sorry, não sei se ajudei muito, mas infelizmente não tenho muito conselho para dar :(

    ResponderExcluir
  2. Ai,fia, não tem isso de perfeição não, o lindo e maravilhoso com filhos é como tudo o mais na vida - relacionamento, trabalho etc: são momentos. Culpa é tão século 20. ;)

    ResponderExcluir
  3. Meu, deu vontade de deletar o post pq ei queria ter falado do olhar do outro sobre a minha "conduta" como mãe. Sobre todo esse policiamento dessa cambada de chatonildos pitaqueiros. E de como p eles eu já falhei no tal papel e de como eu odeio tudo isso... Etc. E' tão bom quandos vcs comentam pq eu volto aos trilhos no assunto. Bjkas

    ResponderExcluir