quinta-feira, 10 de junho de 2010

Duas histórias de horror

Hoje era para ser o dia em que eu me sentaria diante da tv e assistiria cada minutinho da abertura da Copa do Mundo. Mas do sertão brasileiro veio esta história de horror para me fazer lembrar que minha rotina seria sacudida e que o conforto do sofá não ia fazer sentido pelo menos por hoje. Como faço quase diariamente pela manhã, li o blog da Lola e mais uma vez fui sacudida por outra história dolorosa. Eu sei que eu tenho a minha própria história de horror e deveria me privar de ler ainda mais sobre a história de horror das 'outras' mas, ficar quieta não faz sentido quando mulheres como a Ana sofrem abusos de homens. Somos cidadãs de última classe aqui nos EUA, no interior do Maranhão, no Brasil inteiro e até na Áustria.

3 comentários:

  1. Falou tudo que eu falaria. Não impora onde estamos, crimes como este nao são prerrogativa brasileira. Lembra o engenheiro austríaco que fez o mesmo com a filha dele? Chocou o mundo. A desculpa da pobreza neste caso brasileiro não funciona. Qual a desculpa para o engenheiro austríaco? Pobre ele não era. É como você disse, somos desrespeitadas e tratadas como cidadãs (em alguns países nem cidadania de verdade elas podem experimentar) de última classe no mundo inteiro.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Eliane

    o caso que aconteceu com a mulher austriaco foi justamente o que eu e amig@as estavamos conversando hoje pela manha no FB. A Denise Arcoverde tambem fez um paralelo com o caso ocorrido na Austria + o caso no BR puxando a questao de como a imprensa brasileira vai ou nao tratar o assunto considerando que a brasileira eh analfabeta, nao eh branca nem linda loura.

    Eu fico pensando se tem gente que ainda linka pobreza com violencia, sabe? Pois isso eh tao racista. Eh como voltar no tempo em que Lombroso tomava isso como verdade total e para ele soh aqueles com tracos negroides estavam supostamente marcados para serem criminosos. Espero que ateh os biologos evolucionistas tenham parado com isso...

    Eh incrivel como cada uma de nos tem uma historia de horror para contar, seja ela envolvendo violencia fisica e psicologica ou somente psicologica. No momento infelizmente estou vendo uma pessoa querida passar por uma situacao em casa em que ela eh sempre humilhada pelo cara.

    Acho que crimes de violencia contra a mulher deveriam ser acompanhandos de uma pena maior ou prisao perpetua como aconteceu ao estuprador austriaco.

    ResponderExcluir
  3. Como voce disse, há um numero enorme de mulheres que sofrem diariamente violencia psicologica e/ou fisica de seus parceiros ou ex-parceiros. A justiça ainda faz muito pouco para evitar tragedias em casos como esses. E não apenas no Brasil. Ano passado vi um documentário aqui so sobre mulheres americanas que sofreram durante anos sofreram todo tipo de violencia do seus parceiros ou ex-parceiros e cada uma delas teve um final tragico porque a justiça é muito leniente nesses casos. Sim, também aqui. Uma ficou paralitica apos o ex atirar nela, outra teve os dois filhos assassinados pelo ex-marido por vingança e outra sofreu duas tentativas de assassinato pelo marido e teve de se esconder e mudar de identidade. A policia prende, mas solta. A justiça aplica ordem de restriçao, mas se o cara esta obcecado todos sabem que nao vai cumprir, é so um pedaço de papel. No fim, essas mulheres sao entregues a sua propria sorte e isso é terrivel. Essa moça que foi violentada por 17 anos pelo próprio pai foi abandonada pela mae que agora esta casada e tem outros filhos. Olhando em retrospecto, quantas pessoas nao erraram em relaçao a essa moça? Acho que a violencia contra a mulher nunca ira diminuir enquanto a sociedade continuar enxergando casos de violencia domestica como problemas de "foro intimo" e vendo as mulheres como seres inferiores. Se apanhou é porque alguma coisa errada fez, quantas vezes já nao escutei isso? Bom fim de semana

    ResponderExcluir