sexta-feira, 18 de junho de 2010

Aspirinas e urucubacas

Estou com a maior dor de cabeça de todos os tempos. Claro que já usei tudo que encontrei na casa para ver se alivia essa dor dos infernos. Eu não sei porquê estou tão mal pois, não me lembro de ter enfiado o pé na jaca ontem a noite. Mistérios. É velhice. Só pode. Ou então foi depois de exclamar hoje pela manhã: "Nem, o Saramago morreu!" e ouvir um "Quem?". É definitivo: além de não ter a menor idéia de como se usa as vírgulas, eu habito um mundo muito estranho. Para auxiliar na conjuntura astral eu sou do tipo de pessoa que fica facilmente e muito alta até com uma aspirina. Imagine que já estou passando pela letra T dos remedinhos para dor de cabeça e já nem sinto mais minha língua. Ainda bem que não leio a bula senão começaria a sentir as 'morredeiras' descritas nos efeitos colaterais.

Enfim, ontem fritei 1 kilo de toucinho para o feijão tropeiro super levinho que vou servir no aniversário do meu nênê. O infeliz do toucinho já veio salgado. Não adiantou ficar de molho por horas. O sal tava lá firme e forte. Eu já estava com muita vergonha de ligar para minha amiga e vizinha Keyla. Ela geralmente é a vitima das minhas perguntas cretinas que daí liguei para o Brasil mesmo e desabafei com outra amiga. Ela deve tá rindo de mim até agora depois de chamá-la no MSN e explicar a 'urgência' da minha vida. Minha vida se resume a isso pessoas - ligar para amigos para eles decidirem o que faço com 1 kilo de toucinho que agora tomaram a forma de torresmo e dá naúsea em caboclo por causa do sal. Sou patétiquinha. No final das contas minha amiga salvou o feijão tropeiro e meu dia. Hoje pela manhã canbaliei na cozinha para tentar fazer a sobremesa - pudim de café - e descobri que não tenho Cointreau e que a garrafa tá custando 40 paus do dinheiro daqui. Ou seja, vou tascar creme de whisky no lugar do cointreau. E que a mãe da Lola não me ouça.

Se minha língua e cerébro voltarem a funcionar, farei uma lasanha vegetariana com ricota simplesmente deliciosa para minha cunhada.

4 comentários:

  1. Ri muito com seu post. Também to com uma tremenda dor de cabeça, mas é por causa desse calor fdp que tá fazendo aqui hoje. Já falei que odeio calor? Só um zilhao de vezes, ne? rsrsrs. Tomara que de tudo certinho no niver do seu filhote e o feijao tropeiro fique delicioso.

    ResponderExcluir
  2. Ai, tadinha, mas estas tuas festas devem ser de arromba, devem dar inveja na vizinhança toda. =D

    ResponderExcluir
  3. Brigada, Eliane...Tina, as festas até que causariam inveja nos vizinhos se eu tivesse vizinhos. Moro no campo, cercada de cidades por todos os lados (bem tipico dos EUA) e tenho vizinhos a cerca de 300 metros da minha porta mas, infelizmente aqui eles não socializam. Eu já tentei dar umas voltas de bicicleta com o bêbê na desculpa de tentar um contato com a vizinhança mas não é a praia deles. Mas a festa foi tudo de bão! Começou 1 em ponto e terminou a 1 da manhã com uma bonfire aqui no quintal de casa.

    bjs

    Amei a Nina lutando, gentem! Com aqueles cachinhos balançando toda aprumadinha! Uma fofa!

    ResponderExcluir
  4. Fico feliz pelo sucesso da festa. Infelizmente nao pude estar presente fisicamente, mas mi corazon estava ai. Todos merecem uma boa festa, especialmente um bebe tao fofo como este. Bjs!

    ResponderExcluir